Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Binance começou a impedir que usuários dos EUA acessem a sua Exchange

A Exchange Binance começou a bloquear o acesso de usuários americanos à sua plataforma.

A mudança ocorre mais de um ano depois que a Binance anunciou pela primeira vez em julho de 2019 que deixaria de atender aos residentes dos EUA a partir de setembro daquele ano.

Até agora, a Exchange ainda estava permitindo efetivamente que os usuários dos EUA acessassem sua plataforma. Como o The Block relatou recentemente , um residente nos Estados Unidos só precisava clicar em “Não sou [americano]” para abrir uma conta na Binance.com. Ainda é possível criar uma conta nesta forma. 

A Binance agora está enviando e-mails para residentes nos Estados Unidos com base em seus endereços IP, o que parece ser um passo significativo em direção ao bloqueio anunciado anteriormente a tais usuários. Um desses e-mails, enviado no domingo e obtido pelo The Block, diz:

“Observamos que sua conta pode estar associada aos Estados Unidos devido a um endereço IP do qual você se conectou no passado. Em linha com os requisitos regulatórios, não podemos fornecer serviços a cidadãos ou residentes dos Estados Unidos.”

“Se você é um cidadão ou residente dos EUA, por favor, transfira seus ativos de sua conta dentro de 90 dias. Você pode considerar o uso do Binance US ou outras plataformas dos EUA”, o e-mail continua. 

Um membro da equipe de suporte ao cliente da Binance disse ao The Block que “assim que nosso sistema detectar o acesso da conta ou os fatores mencionados no e-mail forem detectados na conta, a seguinte notificação por e-mail será enviada aos usuários.”

A ação da Binance ocorre logo depois que o governo dos EUA lançou dois processos judiciais contra a Exchange de derivados de criptomoedas BitMEX.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos e a Commodity Futures Trading Commission acusaram recentemente a BitMEX e seus fundadores de violar as regulamentações “know-your-customer” (KYC) e anti-lavagem de dinheiro, entre outras alegações. Diante deste caso, a BitMEX acelerou seu programa KYC , exigindo que todos os clientes fossem verificados até 5 de novembro – três meses antes do prazo original de fevereiro de 2021.

O rival BitMEX, Deribit, também exigirá que todos os usuários sejam verificados antes do final deste ano, conforme o The Block relatou no mês passado. (Deribit já bloqueia residentes dos EUA com base em endereços IP).

O próprio Binance parece estar no radar dos reguladores por evitar escrutínio. Em setembro, a Força-Tarefa de Ação Financeira (FATF) publicou um relatório , sugerindo que a Binance passou anos mudando o centro de suas operações de um lugar para outro, aparentemente para evitar regulamentações.

Mais recentemente, a Forbes publicou um relatório, detalhando o que descreveu como esforços da Binance para evitar o escrutínio dos reguladores dos EUA. O relatório alegou que a Binance “concebeu uma estrutura corporativa elaborada projetada para enganar intencionalmente os reguladores e lucrar sub-repticiamente com investidores de criptomoedas nos Estados Unidos”.

Um braço dedicado com sede nos EUA, Binance.US, foi lançado em setembro de 2019. Ainda assim, seus volumes permaneceram fracos em comparação com a plataforma principal da Binance. 

Contribua para a exchange da Comunidade: Crowdfunding da Exchange de Criptomoedas da Comunidade – Yetubit

Leia também: “Bitcoin é uma reserva de valor sólida”, Segundo o Fundador da Microstrategy

Leia também: Bitcoin Agora Tem a inflação Mais Baixa Que o Ouro

Leia também: O preço do bitcoin deve chegar a US $ 100.000 em 2025, pois o BTC está a se tornar cada vez mais o ouro digital, diz Bloomberg

 

Escreva o seu comentário