Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Joe Biden Ordena Agências de Inteligência a Investigarem o Ataque Hacker que Atingiu 200 Empresas Americanas

O Presidente norte-americano, Joe Biden, garantiu na última semana que orientou as agências de inteligência do seu país a investigarem os recentes ataques cibernéticos dirigidos a 200 empresas americanas.

O ataque cibernético efectuado na última semana contra a Kaseya, uma empresa norte-americana provedora de softwares, deixou a estrutura de gestão da empresa totalmente comprometida.

Na sexta-feira, após os ataques, o Chefe-executivo da Kaseya, Fred Voccola, disse à imprensa que a empresa que dirige havia detectado uma vulnerabilidade, mas acalmou os clientes garantindo que resolveria a situação o mais rápido possível.

Os russos podem estar por detrás dos ataques?

Revil-empresa-kaseya-eua-joe-biden-presidente-norte-americano-ataque-

A Huntress, uma empresa de segurança, disse que acredita que os russos estejam envolvidos e culpa o REvil pelo ataque, um grupo de hackers russos. O mesmo grupo suspeito de de hackear os frigoríficos da empresa JBS em junho deste ano.

O pesquisador sênior de segurança da Huntress, John Hammond, disse que um único vírus partilhado permitiu que centenas de empresas fossem afectadas.

John Hammond acrescentou:

Este é um ataque colossal e devastador para a cadeia de suprimentos.

Durante um pronunciamento após o ataque, o Presidente Joe Biden afirmou que havia instruído as agências de inteligência dos EUA a investigarem o assunto e que haverá consequências graves se se provar que a Rússia está por trás do ataque.

Apesar de alguns meios de comunicação já estarem a atribuir a responsabilidade do ataque ao grupo russo REvil, o Presidente americano, Joe Biden, disse, no seu último pronunciamento sobre o assunto, que ainda não há certezas sobre os responsáveis pelo ataque.

Em declarações feitas na sexta-feira última, o Presidente norte-americano disse:

O pensamento inicial era que não era o governo russo, mas ainda não temos certeza.

O ataque já começou a influenciar a forma como alguns governos vêem as criptomoedas

Revil-empresa-kaseya-eua-joe-biden-presidente-norte-americano-ataque

O ataque às empresas americanas e não só também foi abordado pela Subsecretária de Estado dos EUA Para os Assuntos Políticos, Victoria Nuland.

A Subsecretária comentou sobre o assunto com o Presidente salvadorenho Nayib Bukele, durante a sua recente visita ao país centro-americano.

Durante a conversa com o Chefe de Estado salvadorenho, Vitória Nuland observou que, após o ataque registado na última semana, o Departamento de Estado dos EUA passou a encarar a maior criptomoeda, Bitcoin, de modo mais criterioso e duro.


LEIA TAMBÉM


Grupo de Hackers Exige 70 Milhões de Dólares em Bitcoin Após Efectuar Ataque de Ransomware nos EUA e na Europa

Governo Americano Vende Bitcoins Apreendidos Por 19 Milhões de Dólares