Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Jornal de Angola Destaca Yetucoin Como Moeda Digital Angolana

A edição do Jornal de Angola deste Domingo, 18 de Abril, abordou na sessão “digital” as criptomoedas, destacando o Bitcoin, como maior criptomoeda, e os projectos Yetucoin e Yetubit em função do seu pioneirismo.

A matéria, que pode ser lida na sessão digital da página 23 do maior jornal diário do país, aborda, além da Yetucoin e Yetubit, a questão da origem das “moedas digitais”, a sua “silenciosa” proliferação pelo mundo e a natureza volátil e descentralizada que lhes permite ser transaccionadas ponto a ponto (P2P).

Criptomoedas-bitcoin-yetucoin-jornal-de-angola-tania-costa-moedas-digitais-mercado
Screenshot da matéria do J.A sobre criptomoedas

Sobre a volatilidade das criptomoedas e do Bitcoin, o jornal observou que esta é uma das características que impedem a maior criptomoeda de ganhar o estatuto de unidade de conta:

[…] as bitcoins ganharam ganharam grande notabilidade, criando um impacto relevante no mercado financeiro.

 

Todavia, devido à grande volatilidade dos preços, até o momento as bitcoins ainda não conquistaram o estatuto de unidade de conta.

A matéria da autoria de Tânia Costa, destacou ainda o aumento da notabilidade das criptomoedas nos últimos anos e a adopção do Bitcoin pela grandes empresas como a Tesla, liderada por Elon Musk, e o PayPal, liderado por Dan Schulman.

Yetucoin e Yetubit

Trazendo o assunto para o nosso contexto, a matéria destacou os projectos da primeira criptomoeda angolana, Yetucoin, e da exchange centralizada, Yetubit:

[…] em Angola podemos encontrar a moeda digital nacional (não regulamentada pelo BNA) denominada Yetucoin, recentemente disponibilizada pela Yetubit Exchange, empresa de direito angolano […].

Buscando detalhar a natureza da Yetucoin, a matéria fez também saber, embora de modo superficial, uma das várias funções da primeira criptomoeda angolana.

A Yetucoin serve de auxílio às empresas e entidades individuais para pagamento de serviços ou produtos adquiridos no exterior.

Um assunto pouco referenciado pela imprensa angolana

Esta é a segunda vez que um órgão público de comunicação social angolano aborda a temática das criptomoedas e do Bitcoin particularmente. A primeira vez ocorreu em 2019 quando a Televisão Pública de Angola (TPA) falou numa das suas emissões sobre o Bitcoin.

Na altura, as criptomoedas foram abordadas com certo cepticismo tanto pelos responsáveis do sector financeiro (BNA), quanto pelos responsáveis da área de telecomunicações (INACOM).

No entanto, a matéria publicada nesta Domingo, trouxe uma visão mais global do assunto e, de modo particularmente interessante, a autora buscou manter-se neutra na medida do possível, isto é, não incentivando nem desincentivando, apenas apresentando os prós e os contras.

Esperemos que esta seja a primeira de muitas mais vezes, pois com estas iniciativas e um debate aberto sobre as criptomoedas e a criptoeconomia, poderemos determinar até que ponto as criptomoedas seriam positivas ou negativas à nossa economia.

O estimado leitor pode ler a matéria na íntegra clicando AQUI.


LEIA TAMBÉM


SEC do Gana Considera Ilegal e Desregulamentado o Uso de Criptomoedas no País

Banco Central da Nigéria e SEC Trabalham Juntos na Busca de Uma Regulamentação Adequada ao Mercado Local de Criptomoedas

Escreva o seu comentário

%d bloggers like this: