Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Manifestantes Invocam Bitcoin nos EUA em Protestos de George Floyd

Os Estados Unidos está a testemunhar um dos seus maiores protestos em anos após a morte de GeorgeFloyd nas mãos de um policia em Minneapolis. Alguns o comparam o atual protesto com os que ocorreram após o assassinato de Martin Luther King Jr. em 1968. No entanto, a comunidade de criptomoedas nos EUA também entrou em contato com a situação.

Personalidades do universo cripto como o CEO da Binance, Changpeng Zhao, reagiu via Twitter após seis dias de protestos em massa dizendo: “Bitcoin é o protesto pacífico”.

O CEO da Ripple, Brad Garlinghouse, também reagiu via Twitter aos protestos, afirmando que ele é solidário “com todos os que estão a lutar para salvar vidas negras”.
Um manifestante em Raleigh, na Carolina do Norte, exibiu um pôster referindo-se ao livro “Bitcoin and Black America”, de autoria de Isaiah Jackson, que “explora a sinergia entre economia negra, Bitcoin e tecnologia blockchain”.
Um manifestante em Dallas carregou uma placa que dizia “Bitcoin Will Save Us”, o que gerou vários comentaristas dentro e fora do universo de criptomoedas:
Criptomoedas participam de protestos recentes em todo o mundo
As criptomoedas continuam a ser um tópico discutido em meio aos protestos que ocorrem nos últimos anos em todo o mundo.
Conforme relatado em 2019, o movimento de protesto pró-democracia e antigovernamental em Hong Kong estimulou a adoção mais ampla de criptomoedas como o bitcoin.
A revolta política levou várias empresas e indivíduos locais a mudar para o uso de moedas digitais descentralizadas.
Na América Latina, as criptomoedas tiveram um papel importante nos protestos ocorridos no último trimestre de 2019 no Chile, Colômbia, Venezuela, Argentina, Bolívia, Equador e Peru.

Escreva o seu comentário