Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Terra LUNA: Uma das Maiores Criptomoedas de DeFi| Guia Completo

Terra é um protocolo blockchain que usa stablecoins atreladas a moedas fiduciárias para alimentar sistemas de pagamentos globais com preços estáveis.

De acordo com seu white paper, o Terra combina a estabilidade de preços e ampla adoção de moedas fiduciárias com a resistência à censura do Bitcoin (BTC) e oferece liquidações rápidas e acessíveis.

Desenvolvimento da Terra

O desenvolvimento no Terra começou em janeiro de 2018 e sua rede principal foi lançada oficialmente em abril de 2019. Em setembro de 2021, oferece stablecoins atreladas ao dólar americano, won sul-coreano, tugrik mongol e cesta de moedas de direitos de saque especiais do Fundo Monetário Internacional – e pretende lançar opções adicionais.

O token nativo do Terra, LUNA, é usado para estabilizar o preço das stablecoins do protocolo. Os detentores de LUNA também podem enviar e votar em propostas de governança, dando-lhe a funcionalidade de um token de governança.

Quem são os fundadores da Terra?

A Terra foi fundada em janeiro de 2018 por Daniel Shin e Do Kwon. Os dois conceberam o projeto como uma forma de impulsionar a rápida adoção da tecnologia blockchain e Criptomoedas por meio do foco na estabilidade de preços e usabilidade. Kwon assumiu o cargo de CEO da Terraform Labs, a empresa por trás do Terra.

Antes de desenvolver o Terra, Shin cofundou e liderou a Ticket Monster, também conhecida como TMON – uma importante plataforma de comércio eletrônico sul-coreana. Mais tarde, ele cofundou a Fast Track Asia, uma incubadora de startups que trabalha com empreendedores para construir empresas totalmente funcionais.

Kwon fundou e atuou anteriormente como CEO da Anyfi, uma startup que fornece soluções descentralizadas de rede mesh sem fio. Ele também trabalhou como engenheiro de software para Microsoft e Apple.

O que torna a Terra única?

A Terra procura se diferenciar por meio do uso de stablecoins atreladas a moedas fiduciárias, afirmando que combina os benefícios sem fronteiras das criptomoedas com a estabilidade de preços diária das moedas fiduciárias.

Ele mantém seu preço atrelado um-por-um por meio de um algoritmo que ajusta automaticamente a oferta de stablecoin com base em sua demanda. Ele faz isso incentivando os detentores de LUNA a trocar LUNA e stablecoins a taxas de câmbio lucrativas, conforme necessário, para expandir ou contrair a oferta de stablecoin para atender à demanda.

Parcerias da Terra

A Terra estabeleceu diversas parcerias com plataformas de pagamentos, principalmente na região Ásia-Pacífico. Em julho de 2019, o Terra anunciou uma parceria com o Chai, um aplicativo de pagamentos móveis baseado na Coreia do Sul, no qual as compras feitas com o aplicativo em plataformas de e-commerce são processadas através da rede blockchain do Terra. Cada transação está sujeita (em média) a uma taxa de 2% a 3% cobrada do comerciante.

Além disso, o Terra é apoiado pela Terra Alliance, um grupo de negócios e plataformas que defende a adoção do Terra.

Em fevereiro de 2019, a empresa anunciou que plataformas de comércio eletrônico de 10 países diferentes, representando uma base de usuários de 45 milhões (13 Bilhões de Kz) e um valor bruto de mercadorias de US$ 25 bilhões (13 Trilhões de Kz), eram membros da aliança.

Quantas moedas Terra (LUNA) existem em circulação?

A Terra tem um suprimento de 1 bilhão de tokens. Se este número for ultrapassado, o LUNA é queimado até retornar ao nível de suprimento de equilíbrio. Novos tokens LUNA são criados através do algoritmo do protocolo, conforme necessário, para manter o preço das stablecoins Terra.

O LUNA foi disponibilizado pela primeira vez para compra em uma venda de token privado para investidores iniciais, que incluiu os braços de investimento das principais exchanges, como Binance, OKEx e Huobi.

A venda foi concluída em agosto de 2018 e, como resultado, a Terra arrecadou US$ 32 milhões (17 bilhões de Kwanzas).

Dos 385.245.974 LUNA criados para a venda, 10% foram reservados para Terraform Labs, 20% para funcionários e colaboradores de projetos, 20% para Terra Alliance, 20% para reservas de estabilidade de preços, 26% para apoiadores de projetos e 4% para liquidez de gênese .

Como a Rede Terra é assegurada?

A blockchain Terra é protegida usando um algoritmo de consenso de prova de participação baseado em Tendermint, no qual os detentores de tokens LUNA apostam seus tokens como garantia para validar transações, recebendo recompensas na proporção da quantidade de LUNA apostada.

Os detentores de token também podem delegar a outros para validar transações em seu nome, compartilhando qualquer receita gerada. O Terra também oferece orientação adicional aos nós validadores sobre as melhores práticas para ajudar a manter a rede segura.

Em maio de 2019, logo após o lançamento da rede principal da Terra, a empresa de verificação de blockchain e testes de penetração CertiK concluiu uma auditoria de segurança da rede.

Examinou seu modelo econômico para testar contra manipulação de mercado, sua arquitetura e sua linguagem de codificação. A CertiK descobriu que a “modelagem e raciocínio matemático” da rede Terra eram “considerados sólidos”, embora não comentasse o desempenho do blockchain.

Onde você pode comprar o Terra (LUNA)?

O token nativo da Terra, LUNA, está listado em várias exchanges de criptomoedas – incluindo Huobi, Bitfinex e Upbit – onde está disponível para ser negociado com moedas fiduciárias, stablecoins e outras criptomoedas.


LEIA TAMBÉM


Primeiro caixa eletrônico de criptomoedas supostamente instalado no Uruguai

Próximo Álbum de Akon Será Um NFT

%d bloggers like this: