Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Tribunal Russo Nega Apelo do Fundador Envolvido no Suposto Esquema Ponzi de Bitcoin de $ 1,5 Bilhão

Um tribunal da região russa do Tartaristão negou o apelo do fundador envolvido no suposto esquema de Bitcoin Ponzi de US $ 1,5 bilhão. De acordo com a publicação russa Inkazan, a Suprema Corte do Tartaristão manteve a prisão à revelia de Marat Sabirov, o cofundador da Finiko, uma empresa que o Banco da Rússia colocou em sua lista por apresentar sinais de um esquema de pirâmide. A decisão prosseguiu sem a presença física de Sabirov no tribunal.

De acordo com a empresa de análise de blockchain Chainalysis, depósitos de mais de US $ 1,5 bilhão foram supostamente feitos na Finiko entre dezembro de 2019 e agosto de 2021. A Finiko operava principalmente na Europa Oriental e predominantemente na Rússia e na Ucrânia.

Um relatório indica que os depósitos para o esquema Ponzi variaram entre um mínimo de 100.000 rublos ($ 1.360) e um máximo de 81 milhões de rublos ($ 1,1 milhão). Os participantes eram obrigados a depositar Bitcoin (BTC) ou Tether (USDT) no suposto esquema Ponzi que prometia retornos de até 30% ao mês.

A Suprema Corte do Tartaristão também manteve a prisão à revelia de outros fundadores da Finiko: Edward Sabirov e Zygmunt Zygmuntovich.

Os três, que estão atualmente em uma lista internacional de procurados, são acusados de serem associados próximos de outro co-fundador da Fininko, Kirill Doronin. Doronin, que está atualmente sob custódia antes de seu julgamento, buscou ser libertado em prisão domiciliar sob o argumento de que poderia pagar aos investidores da Finiko.

O assistente pessoal de Doronin e vice-presidente da Finiko, Ilgiz Shakirov, também foi preso no início deste mês enquanto aguardava a conclusão do período de investigação.


LEIA TAMBÉM


A Turquia Está ou Não em Guerra Com o Bitcoin? Acompanhe a Investigação

Binance Encerrará Negociação de Futuros e Opções na Austrália

%d bloggers like this: