Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Autoridade eleitoral brasileira pode incluir tecnologia Blockchain em futuras eleições

O tribunal superior eleitoral (TSE), revelou ao público na última sexta-feira de Julho (29) que está estudando a tecnologia blockchain como uma tecnologia que pode ajudar a instituição na sua tarefa de organizar as futuras eleições. 

Segundo o coordenador de modernização da instituição, Célio Castro Wermerlinger, a tecnologia de contabilidade descentralizada foi incluída em um programa de pesquisa denominado “Eleições do Futuro”,

Durante o evento que teve como tema o “Sistema Eletrônico de votação” Wermerlinger apresentou à plateia como se deu a criação e desenvolvimento do sistema eletrônico de votação e todas as etapas de segurança e auditoria que cercam os votos depositados nas urnas eletrônicas. O coordenador do TSE explicou que a urna eletrônica foi desenvolvida no Brasil para atender às necessidades do país e com características que facilitam a sua assimilação pelos brasileiros, abordou ponto a ponto, como se dá a auditoria e a fiscalização dos votos desde o desenvolvimento dos sistemas até a fase pós-eleição. Wermerlinger apontou que o sistema eletrônico de votação é seguro, transparente, auditável, inovador e célere, além de inclusivo, por permitir que cegos, surdos e analfabetos consigam votar.

Célio Wermerlinger, terminou a sua palestra divulgando o projeto “Eleições do Futuro” que busca soluções mais eficientes e mais economicamente viáveis a serem eventualmente implementadas no sistema eletrônico de votação. Entre as tecnologias sendo estudadas estão o protocolo de votação fim a fim, a criptografia pós-quântica, as chaves compartilhadas e a tecnologia Blockchain, sem avançar quaisquer data


LEIA TAMBÉM


Nigéria Entre os Principais Países do Mundo na Adoção de Jogos NFT, Aponta Estudo

Número de Caixas Eletrônicos de Bitcoin no mundo se Aproxima de 40 mil

Leave a Reply

%d bloggers like this: