Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Rússia está Profundamente Interessada em Blockchain | Bitcoin Angola

A Federação Russa é uma superpotência econômica / política que geralmente joga tênis de mesa com países como os EUA ou a China, embora pareça ser um “amigo” do último e um “rival” dos Estados Unidos, todavia, a Rússia aprendeu o caminho para se tornar um forte mediador independente de ambos os países.

O capitalismo ocidental não está ausente da Rússia, como muitos pensam. De fato, existem os mesmos padrões promovidos na sociedade russa, incluindo carros de luxo e arranha-céus, como acontece no mundo ocidental, mas estamos convencidos de que a Rússia é uma coisa totalmente diferente por si só.
Por outro lado, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, não era tão conservador quanto seus pré-sucessores, permitindo que ele também aprendesse com o amigo próximo do Oriente. A aliança Rússia-China pode ter sido sempre um pacto forte devido a algumas crenças políticas e sociais comuns, mas é ainda mais forte hoje em dia.
Rússia e blockchain
Muitos de vocês não esperariam, mas algumas das maiores instalações de mineração de criptomoedas do mundo estão localizadas na Rússia. A geração dos anos 90 é voltada para tecnologia, computadores e serviços de internet, pois é a característica básica dessa geração, e o blockchain deve ser um caminho óbvio pelo qual os jovens russos estariam interessados.
De Vitalik Buterin, fundador da Ethereum (ETH), a Pavel Durov, pai de VKontakte, e Telegram, a Rússia tem produzido algumas figuras interessantes no cenário de alta tecnologia. Você sabia que mesmo um dos criadores originais do Google também era de origem russa?
Então, ouvindo o discurso de Xi Jinping no mês passado, elogiando a tecnologia blockchain e falando sobre como é importante para o país adotá-la o mais rápido possível para se permanecer líder em avanços tecnológicos, fiquei a imaginar o que Putin pensaria sobre tudo isso.
Quer dizer, vimos inúmeros formuladores de políticas da UE e EUA, políticos e reguladores financeiros conversando “A” e “B” tentando descobrir o impacto da tecnologia blockchain e na extensão das criptomoedas, mas qual é a posição da Rússia no que diz respeito aos DLTs ?
Anunciou a regulamentação ou “siga a China”
A Rússia está seguindo uma estratégia de regulamentação sob medida quando se trata de ativos virtuais, que é considerada a abordagem mais inovadora, considerando que permite a criação de novas políticas e leis, se necessário, a fim de entender e sujeitar melhor as principais diferenças entre cada blockchain ‘moeda’ com potência.
Os países que seguem uma abordagem semelhante incluem China, França, Israel e Malta, e diz-se que esses países oferecem ampla flexibilidade, desde que uma criptomoeda possa ser entendida e aceita pela estrutura reguladora local.
Você pode encontrar em nossos arquivos um relatório categorizando a estrutura reguladora de criptomoeda em diferentes países e continentes do mundo.
O próprio Putin admitiu que realmente não entende como a tecnologia blockchain funciona, mas entende o impacto que ela tem sobre conceitos sociais como transparência, imutabilidade e informações e trocas monetárias mais rápidas e seguras.
Em um discurso, ele disse que acredita na juventude russa e quer apoiar idéias inovadoras na esfera, com o Sberbank-500 sendo o primeiro fundo do banco central a capacitar startups de alta tecnologia, incluindo alguns dos mais populares projetos de criptomoeda russa .
Acredito que essa confiança cega e abertura na blockchain da Rússia é gerada principalmente pela confiança do país na República Popular da China, e se Xi Jinping diz que devemos nos concentrar nessa, Putin apenas pisca os olhos nisso.
Exemplos pragmáticos de casos de uso de blockchain na Rússia
Blockchain e criptomoedas são usadas regularmente entre internautas russos e órgãos governamentais. Desde crianças que pagam por suas roupas virtuais em videogames usando criptografia, até funcionários de instalações nucleares que usam o supercomputador de seu trabalho para minerar criptomoedas, a blockchain está presente no país de inverno.
As autoridades russas agora estão a buscar opções legais para confiscar ativos digitais, como criptomoedas, sob os mesmos métodos que lidam com formas tradicionais de propriedade física.
Isso reforçará os órgãos de combate ao cibercrime, de acordo com o Ministério da Administração Interna, que pretende desenvolver uma lei respectiva que permitirá essencialmente que as agências governamentais forçem os criminosos a entregar ativos digitais obtidos ilegalmente, a partir de 2021.
No início de agosto, um município da cidade de Moscovo estava em busca de um empreiteiro de blockchain que pudesse ajudá-los a desenvolver uma solução focada na cidade para aumentar a eficiência autônoma da capital russa, enquanto muitas startups de blockchain russas, como as populares WAVES agora estão  a oferecer várias soluções de tokenomics em outros países.
Conclusão
A Rússia passou por tempos difíceis nas últimas décadas, assim como a China e a maioria dos países da Ásia do Sul e do Leste da Europa, que deveriam apoiar os esforços de Putin e Jinping e mudar as políticas de seus países para a adoção da blockchain.

Escreva o seu comentário